terça-feira, 28 de setembro de 2010

Xibom Bombom, por Karl Marx

Ah, os anos 90... época de verdadeiras músicas de protesto, onde os artistas tinham coragem de expor a sua opinião política, seu descontentamento com o mundo e seus idéias revolucionários. Época de artistas corajosos e não essa viadagem colorida atual.


As Meninas, grupo que abalou as estruturas do Planeta Xuxa nos anos 90, foi o maior exemplo da classe de artistas intelectualmente desenvolvidos e com músicas que contestavam o establishment.


Muitos podem falar que o Chico Buarque é o maior representante dessa classe. Muitos que não tem noção de história, obviamente. Chico Buarque não atingiu as massas do jeito que As Meninas atingiu. Chico Buarque nunca tocou no Domingo Legal, nunca foi no Planeta Xuxa, nunca nem sequer tocou em um trio elétrico. Bom xi bom bombom jogou o comunismo para o povão.


Aliás, Chico Buarque já fez uma música para Karl Marx? As Meninas fizeram! Xibom Bombom é um manifesto, praticamente um O Capital em ritmo de axé.





Bom xibom, xibom, bombom!

Bom xibom, xibom, bombom!
Bom xibom, xibom, bombom!
Bom xibom, xibom, bombom!

Pura onomatopéia? Sim, superficialmente. Mas no fundo é uma crítica ferrenha as sociedades capitalistas, baseada em pensamentos de Marx, que não aceitava separação entre o real e o abstrato, já que isso são apenas abstrações mentais analíticas. Ou seja, um refrão onomatopéico iria divertir o povo e ao mesmo tempo adentrar a mente humana.

Analisando
Essa cadeia hereditária
Quero me livrar
Dessa situação precária...(2x)

Revolução! Era isso que As Meninas pregavam. Marx já dizia que a revolução tem que ser necessariamente sangrenta, já que o Estado nunca iria abrir mão da sua condição de oprimir o povo. Esse povo que analisa a sua cadeia hereditária, os seus antepassados, seus pais e não enxerga nenhuma mudança na sua condição de reles manobra de movimento dos governos. Essa massa revoltada quer se livrar dessa situação precária e sabe que a revolução e o socialismo são as únicas saídas contra o poder político.

Onde o rico cada vez
Fica mais rico
E o pobre cada vez
Fica mais pobre

E o motivo todo mundo
Já conhece
É que o de cima sobe
E o de baixo desce
E o motivo todo mundo
Já conhece
É que o de cima sobe
E o de baixo desce...

Nesse trecho As Meninas citam claramente a teoria da Mais-valia de Karl Marx, em que o sistema capitalista trabalha apenas para obter lucros. E esses lucros ficam sempre nas mãos de poucos, os proprietários das fábricas, das empresas. O empregado fica sempre renegado a uma mínima parcela dos lucros em cima dos produtos que ele mesmo produz. Sendo assim, o rico sempre fica cada vez mais rico e o pobre cada vez mais podre. Isso só aumenta a luta de classes, fazendo com que o de cima sempre suba enquanto o de baixo sempre desça, gerando conflitos sociais. Xibom Bombom é uma chamada para refletir sobre essa posição.

Bom xibom, xibom, bombom!
Bom xibom, xibom, bombom!
Bom xibom, xibom, bombom!
Bom xibom, xibom, bombom!

Mas eu só quero
Educar meus filhos
Tornar um cidadão
Com muita dignidade
Eu quero viver bem
Quero me alimentar
Com a grana que eu ganho
Não dá nem prá melar

Educação, civilidade, bem estar, alimentação digna e salário justo. As bases todas do socialismo estão explícitas nesses versos. É uma transcrição do Manifesto Comunista cuspido e escarrado.

Essa música reúne em poucos parágrafos uma quantidade enorme de informações sobre filosofia, história, sociologia, ciência política, antropologia, psicologia, economia, e comunicação. Tudo isso esfregado na cara da população brasileira todo domingo na televisão. Uma crítica escancarada à nossa sociedade podre. Era como se Stalin tivesse nascido na Bahia e cantasse axé. Um marco na música de protesto nacional. Carla Cristina, uma revolucionária!


Pagode Filosófico, por: @ChicoCabron

68 comentários:

  1. Bom xibom bombom é onomatopéia dos canhões da revolução?

    ResponderExcluir
  2. Que loucuraa! Muito bom!!!

    ResponderExcluir
  3. Sensacional!

    Realmente ainda é possível ler algo interessante.

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Eu já tinha reparado no conteúdo desta música e acho q ela merece respeito. Mas se formos olhar, com o passar do tempo, e a repercussão internacional do Chico, ele é mto mais importante do que as meninas. Hj em dia ninguém mais escuta as Meninas, mas o Chico eu garanto que escutam e continuarão escutando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá de zuera. Escuto as Meninas direto e nem ouvi falar desse tal de Chico.

      Excluir
    2. ocês tão falano do Chico Bento? como uma pessoa nunca ouviu falar no cumpádi Chico Bento?

      Excluir
  5. "Era como se Stalin tivesse nascido na Bahia e cantasse axé."
    SENSACIONAL!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  6. Mas esta letra poderia ser do Chico, sim. Perfeitamente. O Chico César, que fique bem claro! Huahsuhuhsu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa música tem mais coisa pra se analisar!
      umas delicias de garotas dançando, e você falando de Karl Marx. Ah, vá pro inferno!

      Excluir
  7. A pergunta que não quer calar, é: quem foi mais importante pra MPB

    Chico Buarque ou As Meninas?

    Minha resposta está no post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chico, vai tomar no meio do olho do seu cu

      Excluir
    2. Não especifiquei o Chico, perdão, falha minha.
      Chico Cabron da sua boca só sai merda, então vai para puta que te pariu

      Excluir
    3. Deixa de ser ignorante, rapá! "Capital" em ritmo de axé? Vai te catar ô idiota! Nunca vi tanta merda escrita. Vai estudar, mentecapto. Vc não passa de um boiola enrustido querendo aparecer.

      Excluir
    4. Pessoa tá sabendo legal interpretar ironia, hein?

      Excluir
  8. É claro que não podemos tratar a questão como mera eleição de importância.

    Obviamente, ambos os vetores citados fazem parte de uma sofisticada linha evolutiva cujo o elo mais resplandescente foi cunhado por Carlinhos Brown. Esse sacerdote-mor do sincretismo antropofágico se vale do complexo do pós-tudo e arremessa ao espaço, tal qual lança aborígene (in Charbonneau, 1973, os seguntes versos, de sua notável criação Meia Lua inteira. Canção-gênese que jé em seutí tulo dá mostras da antítese criativa que trás em seu próprio âmago:

    Meia Lua Inteira sopapo
    Na cara do fraco
    Estrangeiro gozador
    Cocar de coqueiro baixo
    Quando engano se enganou.

    Por si só, tal construção semântica-fonética já mereceria atenção dos pesquisadores futuros. Porém, o notável artista vai além e comete algo que nem em seus sonhos mais delirantes Oswald de Andrade, ou qualquer outro modernista primitivo anteviu:

    São dim, dão, dão
    São Bento
    Grande homem de movimento
    Martelo do tribunal
    Sumiu na mata adentro
    Foi pego sem documento
    No terreiro regional.

    Isso é Brasil. É a vanguarda do eldorado em estado bruto. Mas a complexidade tropical só encontra seu zênite nos versos finais e definitivos. Um espécie de transfiguração Claude Levi-Strausseana. Inegavelmente uma matriz filosófica-meditativa para as próximas civilizações urbano-emergente-independentes coligadas a mercados de capitais não corporativos. Alegres, enfim.

    Uera rá rá rá
    Uera rá rá rá
    Terça-Feira
    Capoeira rá rá rá
    Tô no pé de onde der
    Rá rá rá rá

    ResponderExcluir
  9. Oh my God''
    Amei teu blog, simplesmente, maravilhoso.
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  10. Pink Floyd????
    Filosofia é As Meninas!

    ResponderExcluir
  11. é, mas essa ae é influencia direta do Chico Science.
    Marx aqui é só uma bola rebatida. rs

    ResponderExcluir
  12. huahauhauhaua
    Muito bom, bem escrito e transcorrido.
    O escritor desse blog é quem, SIM, posso chamar de 'GÊEEEEENIO!'
    Meus parabéns!

    ResponderExcluir
  13. Comprovou minha teoria e do meu namorado, que já cantávamos essa música atentos à criticidade! Rsrs.

    ResponderExcluir
  14. As meninas comunistas, nada mais revolucionário!

    ResponderExcluir
  15. Eu notava isso! Realmente era uma crítica hahaha, o mais engraçado é que não deu certo né? What's the big deal?

    ResponderExcluir
  16. Duvido e que elas tivessem cantado isso na epoca do A5

    ResponderExcluir
  17. A ideia da análise é muito boa. No entanto, falta um pouco de marxismo MESMO no texto. No caso de "o de cima sobe e o debaixo desce", diria que há em Marx uma versão mais profunda que o que colocas no texto como "é a teoria da mais-valia". Na verdade, o verso se encaixa perfeitamente no que Marx chama "Lei Geral da Acumulação Capitalista", cap. XXIII do livro I do Capital. Além disso, mesmo que se trate de uma ironia, a citação à Stalin não cabe. Ainda se fosse Lênin... mas Stalin? o homem que transformou toda a teoria marxista em uma ditadura individual? Erro crasso!

    Gostei da ideia dessas análises, dá até pra ir mais a fundo, como tentei mostrar ai em cima. Parabéns, abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, assim como a música não conseguiu atingir o objetivo revolucionário e só colocou o povão pra dançar, Stalin poderia dar umas reboladinhas também.

      Excluir
  18. É o manifesto comunista cuspido e escarrado... e põe escarrado nisso hein? rsrsrsrrsrsrs

    ResponderExcluir
  19. Eu sempre soube que comunismo era um bosta!

    ResponderExcluir
  20. Fantástico!
    É sempre bom encontrar um chiste que seja construtivo.

    ResponderExcluir
  21. Essa era óbvia, né? Mesmo na época, todo mundo ja tinha se ligado!
    Nem precisava de se dar ao trabalho!

    ResponderExcluir
  22. Muito bom, adoraria ver uma análise da canção "Cheia de Manias", do Raça Negra, à luz da psicanálise freudiana... rs

    ResponderExcluir
  23. "Analisando essa cadeia hereditária, quero me livrar dessa situação precária..."
    Sociologia pura!

    ResponderExcluir
  24. " Duvido e que elas tivessem cantado isso na epoca do A5"

    Entendo que de fato foi necessario muito mais coragem do Chico por causa da ditadura. Porem, deve-se analisar o outro lado da moeda tmb.
    O Chico lancava suas musicas d protesto em uma epoca de censura, torturas e desaparecimentos, SIM. Mas era tmb uma epoca em q as pessoas, especiamente a juventude, eram muito engajadas e entusiastas no q diz respeito aos assuntos politicos. Dava ate status ser revolucionario. A era d'As Meninas, por outro lado, jah estava contaminada com as trevas da alienacao, comodismo e inconsciencia social. O povo soh qria saber d rebolar, e no meio dessa bagunca toda surgiu uma luz, um grupo de artistas NADANDO CONTRA A CORRENTE! Um grupo d menestreis chamado As Meninas!
    E isso eh bem mais dificil. Duvida? Entao para e pensa: ha qnto tempo o Chico ou o Geraldo Vndre nao lancam uma musica d protesto?
    Chico teve seu merito em enfrentar o poder politico opressor sim. Mas enfrentar os outros eh facil. As meninas foram alem e enfrentaram a si mesmas, bravamente desprendendo-se da inercia d sua geracao!

    ResponderExcluir
  25. Eh claro q mais tarde elas infelizmente se venderam ao sistema. Ou entao como voce me explica aquele comercial em q elas cantam;
    "Bom xibom xibombombom, BEM DE VIDA!"
    Lamentavel, uma macula para a obra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Putz grila...ri horrores, mais do que ri do post. Muito bom!!! kkkkkkkkkkkkk =D

      Excluir
  26. HAHAHAHA muito bom!

    mas ninguém levou isso a sério né? Ironia é facilmente compreensível.

    ResponderExcluir
  27. Simplesmente sensacional! Parabéns!

    ResponderExcluir
  28. Muito bom!!!! Parabéns!!

    ResponderExcluir
  29. Tem gente levando a sério... ainda mais SENSACIONAL! HAHAHAHA
    Parabéns!

    "Era como se Stalin tivesse nascido na Bahia e cantasse axé." morri

    ResponderExcluir
  30. olha, eu boto fé nessa música pra explicar a realidade brasileira. hahaha

    ResponderExcluir
  31. hahahahaha foda brother!!!!! Muito bom!

    ResponderExcluir
  32. Meuuuu Deuuuuusssss!
    Nunca, em tempo algum, vi coisa mais ignorante do que isso...
    O blog é ruim, o texto é péssimo, a ideologia é utópica e principalmente ultrapassada e só é moda na Coréia do Norte e em Cuba... mesmo assim porque não há eleições (eu disse ELEIÇÕES, senão...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E você não sabe interpretar ironia.

      Excluir
  33. "o de cima sobe e o debaixo desce "
    A cidade de Chico science & Nação Zumbi :D

    ResponderExcluir
  34. PARABÉNS...visões iguais a essa nos fazem acreditar que ainda tem gente inteligente nesse mundo, abraço!

    ResponderExcluir
  35. E a revolução é internacionalista (versão mexicana: http://youtu.be/4p5Pdgt2d5M)

    ResponderExcluir
  36. Que merda! Conseguiram transformar o "comunismo" numa verdadeira bosta cultural. A canção tem somente dois acordes e uma melodia sofrível, óbvia e de muito mau gosto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Merda mesmo foi esse comentário aí...

      Excluir
    2. conseguiram mesmo - foi só me levarem a sério, seguindo à risca minha bíblia!

      Excluir
  37. Um "Capital" em ritmo de axé? Vai estudar seu vagabundo e pára de desinformar os manézinhos que frequentam essa bosta de blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelos comentários, percebe-se que você é um dos poucos 'manezinhos' que leram o blog.

      Excluir
  38. Se Stalin tivesse nascido na Bahia seria um homem pacato e feliz, e não um sanguinário mórbido.
    No mais, espero ter entendido a ironia e jocosidade do texto, porque só pode ser irônico.
    Com efeito, ri bastante.

    ResponderExcluir
  39. Não nego que essa música das Meninas são um tipo de crítica social que não aparece mais nas músicas comerciais que bombam durante um ano e depois somem. hoje em dia eles produzem nxws por aí que dura o necessário pra encher o saco e dar um bom lucro até cair no esquecimento.

    Mas, cá pra nós, essa música só tem capital pra quem conhece esse livro apenas pela orelha, inclusive o manifesto comunista.

    Acho que vale a agitação com a música e a crítica social, mas resumir o capital a isso é um erro grotesco e absurdo.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Erro grotesco e absurdo é achar que o autor realmente resumiu "O Capital" à música.

      Excluir
  40. com base a musica analise a letra da musica xibom bombom com base nas teorias de mobilidade social? .... e se caso vc tivesse poder para isso, que medida tomaria pra mudar a situcçao causada por "essa cadeia hereditária"

    ResponderExcluir
  41. Era como se Stalin tivesse nascido na Bahia e cantasse axé. foi o mais foda kkk

    ResponderExcluir
  42. hahaha. Ri muito!
    Quanta criatividade e inteligência em conseguir tirar algo dessa música "erudita" (kkk) de forma cômica.

    ResponderExcluir
  43. Eu sempre cito essa música pra criticar o capitalismo, por mais que o texto tenha sido irônico e concordo que a música não resume o capital, o que não foi mesmo a intenção do autor, é inegável que toda a letra é uma grande crítica social, exceto a parte onomatopéica, que aí realmente não vejo muito sentido...rsrs

    Mas, como diz um amigo meu, samba bom tem que ter laia laia...rs

    ResponderExcluir

Analise você também!